TEMPO

A humanidade

Na Pós-Modernidade

É um complexo paradoxo

 

Ao mesmo tempo em que

Acredita que tempo é dinheiro

Gasta seu tempo

Nas redes sociais

Quando vai ao banheiro.

 

Esse tempo não é mais utilizado

Para pensar na existência

Ou refletir sobre a vida

Num momento íntimo seu

 

Ele é perdido

Em textos passados, mas não lidos

Em ódio gratuito compelido

por mensagens subliminares.

Em jogos de doces e açúcares coloridos

Que ditam o rumo de suas vidas a cada 30 minutos.

 

Ele é expelido em fezes

Urinas

E dominação de massas

Prendendo o pensamento

Numa gaiola de sutis doutrinas.

 

Assou!

Alanna Fernandes

About Alanna Fernandes

escreve poesia, produz áudio-visuais doidera e compõe umas canção tristona no violão

View all posts by Alanna Fernandes →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *